Fassina

18/01/2017
Imagem indisponível

Tudo começou em 17 de janeiro de 1974, quando quatro irmãos se uniram e fundaram a Transporte Rodoviário Fassina Ltda. Waldemar, Walter e Ademir, que até então tinham o caminhão como ferramenta de trabalho, se uniram a Antonio Aparecido, formado em Administração de Empresas, e seguiram em busca do sonho se serem empresários. Em 1977, mais um irmão foi fazer parte do grupo, Wanderlei chegou e ficou responsável pela área comercial.

Em mais de 40 anos, muita coisa aconteceu, altos e baixos foram enfrentados pela transportadora, que sempre teve como foco o trinômio rapidez, eficiência e preços competitivos.

Como explica a psicóloga Roseneide Fassina, filha de um dos proprietários e responsável pelo RH da empresa, a base do trabalho sempre foi essencialmente familiar. “Os irmãos foram trazendo os filhos. E, assim, fomos todos fazendo parte. Alguns já trabalharam aqui e depois decidiram tomar outros rumos. Mas, somos muitos tios e primos”, conta Rose.

Segundo ela, a empresa conta atualmente com dois terminais em Guarujá (Redex e Depot), e mais dois em Santos (Alemoa e Chico de Paula). “Prestamos serviços de transporte rodoviário, armazenagem, Depot e reparo de contêineres”.

O que espera do sindicato? – Penso que o sindicato deve representar os empresários e mostrar o que está fazendo em prol da categoria. O ideal seria a apresentação de relatórios mensuráveis. Na minha visão, a entidade não pode, de forma alguma ficar presa aos interesses de apenas alguns, mas pensar no macro, não no individual, afirma Rose.

Por Giuliana Olivetti