Fetcesp faz treinamento do RNTRC. Empresas têm até 31 de maio para regularizar situação.

21/03/2017
Imagem indisponível

No dia 10 de março, a Fetcesp realizou um curso para os profissionais dos sindicatos paulistas que fazem o cadastro e recadastramento no Registro Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC).  O curso foi ministrado pelos técnicos do sistema Sitcarga e teve o objetivo de promover a melhoria nos atendimentos, esclarecendo dúvidas sobre o sistema e legislação.

         Entre as novidades apresentadas se destacam a possibilidade do operador do Ponto Credenciado a fazer “upload” de todos os documentos inerentes ao registro e de arquivos gerados em formato “pdf”;  associação automática dos adesivos de identificação às placas, a partir de 6 de janeiro deste ano e a criação do SAT (Serviço de Atendimento ao Transportador).

         A assessora jurídica Gildete Menezes, observa que um dos pontos altos do curso foi a leitura da Portaria Suroc nº 10/2017 que trata das regras aplicáveis à identificação visual de veículos automotores de cargas e implementos rodoviários, bem como do detalhamento do processo de cadastramento e recadastramento dos veículos no RNTRC, traz, entre outras novidades, a informação de que os veículos suspensos que se encontram nessa condição pela falta de vinculação de sua placa ao adesivo, terão até o dia 31 de maio de 2017  para fazê-lo sem custos extras.

         “Essa informação é de suma importância pois, após essa data os transportadores que não completarem o processo de identificação visual dos seus veículos por falta de associação do código (QR Code) à placa terão seus veículos excluídos da sua frota e deverão reiniciar todo o processo de recadastramento arcando com os custos. Além disso, também estarão sujeitos às penalidades previstas na Resolução ANTT nº 4.799/2015”, informa Gildete.

         Durante o treinamento os profissionais dos sindicatos tiveram a oportunidade de expor os seus problemas e apresentar sugestões para melhorias com o objetivo de facilitar o serviço e aumentar a segurança do sistema.

         O Sindisan, como posto de atendimento, esteve representado no treinamento por duas funcionárias. Fonte: Fetcesp.