Comunicado BTP - No show

29/03/2017

C I R C U L A R – S I N D I S A N – 03/2017

 

Srs Transportadores,

 

Fomos notificados, em 22/03 p.p., pelo Operador Portuário Brasil Terminal Portuário, acerca da implantação de cobrança de “No Show” (Não cumprimento de janelas de agendamento), a partir de 03/04/2017.

Esta entidade procurou a direção da Brasil Terminal, a fim de obter maiores detalhes da implantação desta “taxa”, bem como os critérios e razão de sua aplicação e, após uma longa avaliação dos fatos apresentados, buscamos detalhar algumas circunstancias que é de suma importância que todos os intervenientes sejam informados oficialmente desta notificação, bem como, de alguns tópicos os quais ficaram esclarecidos nesta reunião:

1) PRAZOS:

  • Prazo para início de “pre stacking” de Exportação = 07 dias "free" de armazenagem, contados retroativos à data programada de chegada do navio;
  • O “Dead Line” de “pre stacking” é entre 24h à 48h antecedente à atracação do navio; e
  • Caso ocorra atraso do navio (não cumprimento da data programada), não haverá cobrança de armazenagem e/ou movimentação de pilha/praça.

2) CRITÉRIOS:

  • Janelas de 01 hora (Ex. 07 às 08, 08 às 09...);
  • Comparecimento: Até 01 hora antes e até 01 hora após a janela;
  • Alteração de dados na janela: Até 30 min anteriores à janela;
  • Cancelamento: Até 30 min anteriores à janela; e
  • Ausência: Não apresentação do veículo, no primeiro gate, até 01 hora após a janela –> Incidência em “No Show”.

Considerando que, o prazo “pre stacking” é objeto de rateio de janelas, os intervenientes deste processo, devem estar conscientizados de que, desde o primeiro até o quinto ou sexto dia (o sexto e/ou sétimo dia ficará a cargo do "Dead Line"), as janelas serão dispostas em proporcionalidade ao número de unidades para embarque no respectivo navio, portanto os Embarcadores que disponibilizarem suas cargas somente nos últimos dias que precederem ao “Dead Line”, incorrerão em elevado grau de risco de não haver disponibilidade de janelas em número suficiente aos diversos embarques, colocando em risco o malogro destes.

Considerando que, em virtude do regramento imposto pela CODESP, o número de janelas é limitado e o prazo de “pre stacking” estabelecido no conceito acima, a prática de reserva em demasia, adotada por alguns intervenientes, deverá ser revista ou estará sujeita à incidência de “No Show”. Além do custo, tal procedimento elimina a possibilidade de reuso desta janela por outra empresa.

Considerando que, o número de “No Show” apurado pela Brasil Terminal Portuário é demasiadamente elevado, e consome um índice alto de janelas disponíveis, buscamos em comum acordo, junto aos Transportadores, divulgar esta nota circular, bem como, sugerir alguns procedimentos que, acatados, trarão benefícios mútuos a toda comunidade envolvida, a qual passará a obter ganho de produtividade e, consequentemente, a não ocorrência de “No Show”, os quais são:

Junto aos Exportadores:

  • Informá-los acerca da notificação da Brasil Terminal Portuário, quanto à incidência e valores do “No Show”, bem como, que a cobrança destes valores será emitida contra eles;
  • Intervir junto aos Armadores quanto à liberação antecipada de unidades de carga vazias, para estufagem, em tempo hábil de cumprir o “pre stacking” desde seu início;
  • Esclarecer que o cumprimento de atendimento ao “Dead Line”, quando em final do prazo de “pre stacking”, implicará em riscos de malogro de embarque, não podendo o Transportador assumir o ônus desta ocorrência;
  • Informar que o prazo para início de “pre stacking” de Exportação é de 07 dias "free" de armazenagem, contados retroativos a data programada de chegada do navio;
  • Informar que o “Dead Line” de “pre stacking” é de 24 à 48h antecedente à atracação do navio (Depende do Armador); e
  • Informar ainda que, caso ocorra atraso do navio (não cumprimento da data programada), não haverá cobrança de armazenagem e/ou movimentação de pilha/praça, ao Exportador, por parte do Operador Portuário.

Junto aos Importadores:

  • Informá-los acerca da notificação da Brasil Terminal Portuário, quanto à incidência e valores do “No Show”, bem como, que a cobrança destes valores será emitida contra eles; e
  • Ratificar a realidade que o Porto de Santos opera 24h, enquanto que os importadores, em gigantesca maioria, operam com carga e descarga de 08 à 10h por dia, portanto, com horários incompatíveis às janelas disponíveis e ocasionando estadias de veículos não remunerados.

Junto aos Transportadores:

  • Instruir aos seus colaboradores a proceder com o cancelamento de agendamento, o qual não poderá atender, com a máxima antecedência possível e até 40 min antes da janela;
  • Buscar cumprir os horários de agendamentos com fidelidade; e
  • Evitar o envio de veículos sem os requisitos necessários e exigidos a cada processo em curso, a fim de agilizar o fluxo de gate.

Informamos ainda, que em data a ser definida junto à BTP, será realizada em nosso auditório, por parte da BTP, uma apresentação do sistema de agendamento da mesma, com os detalhamentos e esclarecimentos de dúvidas aos associados.

Finalizamos, informando que havendo êxito na missiva conjunta acima proposta, a Brasil Terminal Portuário avaliará o desempenho no aproveitamento das janelas disponibilizadas, com grande possibilidade de suspensão da cobrança desta “taxa”.

 

Santos, 29 de março de 2017.

 

A Direção.