Indústria de implementos segue em recuperação

13/03/2018
Imagem indisponível

Impulsionada pela retomada do mercado de caminhões, também a indústria de implementos rodoviários encontra bons motivos para comemorar os resultados deste início de ano. No acumulado dos dois primeiros meses do ano foram entregues 10.687 reboques, semirreboques e carrocerias sobre chassi conta 6.634 no mesmo período de 2017, uma variação positiva de 61,09%.

Segundo Alcides Braga, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir), o resultado apresentado é reflexo do reaquecimento das atividades econômicas do País.

“O fim da recessão de dois anos, apontado pelo IBGE, deve melhorar o ânimo geral da economia, reforçando ainda mais essa espiral positiva de resultados”.

Por segmento de produtos, as vendas de janeiro e fevereiro de reboques e semirreboques, equipamentos utilizados nos caminhões pesados, apontaram alta de 87,8%, para 5.179 unidades ante 2.753 implementos emplacados um ano antes.

Na categoria de carroceria sobre chassis, o mercado absorveu no primeiro bimestre 5.517 produtos, volume 42,15% superior em relação às 3.881 unidades emplacadas no mesmo período de 2017.

Segundo a Anfir, além crescimento da economia do País, as recentes medidas nas políticas operacionais do BNDES, como a circular 43, que permite financiamento de até 100% do valor o bem para micros, pequenas e médias empresas, favoreceu o desempenho positivo do segmento.

Depois, a queda na Selic também promoveu redução nas taxas de juros praticadas pelas instituições financeiras. Com este ambiente, o CDC, Crédito Direto Consumidor, volta a se apresentar como uma mais opção de financiamento para o segmento.

“Trata-se de uma linha de crédito mais objetiva e interessante para as instituições financeiras”, observa o presidente da Anfir. “Na prática, o CDC significa mais oferta de crédito ao mercado”. Fonte: Estradão/ Estadão.