ANTAQ prevê a aprovação de mais 18 terminais privados em 2018

09/08/2018

A ANTAQ autorizou sete terminais de uso privado apenas em 2018, totalizando mais de R$ 5 bilhões em investimentos. Para incrementar ainda mais o setor, até o final deste ano, a ANTAQ trabalha na perspectiva de aprovar mais 18 terminais privados. “Isso significa em números globais mais R$ 4,2 bilhões em investimentos”, afirmou o diretor da ANTAQ, Francisval Mendes, durante Reunião Ministerial sobre o Eixo Infraestrutura na Casa Civil da Presidência da República, na última terça-feira (7).
Mendes destacou, a título de exemplo de melhoria da infraestrutura portuária, que, nesta quinta-feira (9), será inaugurada a expansão do Porto de Itapoá, em Santa Catarina. “O setor portuário tem crescido exponencialmente, exigindo dos investidores incrementar seus negócios e ampliar suas capacidades operacionais”.
Vale destacar, ainda, que desde o ano passado foi antecipada a prorrogação de dez terminais, injetando mais de R$ 1,3 bilhão nos portos públicos. Sob análise da ANTAQ, encontram-se os estudos de reequilíbrios do Porto de Itaqui (MA) e do Porto de Suape (PE), com previsão de conclusão ainda este ano. “Tais reequilíbrios representam algo em torno de R$ 200 milhões em investimentos novos”, ressaltou.
O diretor da Agência lembrou que, dentro do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), seis leilões já foram realizados. Há, em consulta pública, dez áreas cuja maioria concentra-se nas regiões Norte e Nordeste. “Além disso, a ANTAQ também lançou edital de mais três áreas e prepara para lançar mais três novos editais até o final de 2018”, disse.
Para concluir sua fala, Mendes afirmou que o setor portuário brasileiro tem batido recordes, “seja na atração de novos investimentos, seja na movimentação de cargas”. Para ilustrar esse ponto, somadas as movimentações dos portos públicos e dos TUPs, somente no ano passado, mais de um bilhão de toneladas passaram pelo país. Isso significou aumento de 8,3% em comparação com 2016. “A tendência, segundo especialistas, é manter o ritmo de crescimento até 2050”, pontuou. Fonte: Antaq.