Regionalização do Porto de Santos centraliza debates do Santos Export

12/09/2018
Imagem indisponível

A desburocratização de muitos processos foi o motivo principal apontado pelo secretário nacional de Portos, Luiz Otávio Campos, para regionalizar a gestão do Porto de Santos. O tema foi debatido por autoridades durante todo o dia de ontem (11), durante o Santos Export – Fórum para expansão dos Portos Brasileiros. Ao final da programação, um vídeo trazia um depoimento do deputado Beto Mansur, garantindo que trataria a regionalização nesta quarta-feira com o presidente Michel Temer.
O Santos Export foi realizado no Mendes Convention Center e contou com a presença de autoridades e representantes do complexo portuário, entre eles o diretor-financeiro do Sindisan, André Neiva. Quatro painéis trouxeram especialistas para discutir assuntos diversos, sempre mediados pelo jornalista Leopoldo Figueiredo, de A Tribuna. Entre os temas, estiveram o Marco Regulatório e o decreto dos Portos (Decreto nº 8.033, de 27 de junho de 2013).
Evolução
A apresentação de um meio de transporte que pode levar cargas ou passageiros à velocidade de 1.200 km/h chamou a atenção dos presentes. O projeto, da Hyperloop Transportation Technologies, foi detalhado pelo diretor de Desenvolvimento de Negócios da empresa no Brasil, Ricardo Penzin. “Não somos malucos, nem o professor Pardal, estamos falando de algo real”, brincou. “Já estamos desenvolvendo projetos em 12 países e vamos inaugurar um piloto de 1,5 km na França, já em 2019”, afirmou Penzin.
Para exemplificar o conceito, que funcionará como um metrô, dentro de um tubo a vácuo, Penzin explicou que uma viagem entre São Paulo e Rio de Janeiro pode ser feita em 22 minutos. “Nosso objetivo é mudar a perspectiva de mobilidade. Para isso, a empresa conta com mais de 800 engenheiros”. Fonte: Sindisan.